FORD CONTA HISTÓRIAS REAIS EM VÍDEO COMEMORATIVO DE 50 ANOS DA FÁBRICA DE TAUBATÉ

Como parte das comemorações dos 50 anos da fábrica da Ford em Taubaté, SP, a empresa produziu um vídeo para homenagear os empregados que ajudaram a construir a sua história – veja aqui. A produção mostra a trajetória de vida de alguns colaboradores e a sua relação com a Ford, em depoimentos espontâneos que deixam aflorar a emoção.

A fábrica, responsável pela fabricação de motores e transmissões, acaba de iniciar a produção do propulsor 1.5 Ti-VCT Flex de três cilindros e da nova transmissão manual MX65, que vão equipar o Ka FreeStyle, novo utilitário compacto global da marca. Esses novos componentes são mais uma conquista da unidade que é reconhecida internacionalmente pelo padrão de qualidade.

Devido à política de recursos humanos da Ford, que permite a contratação de parentes em setores diferentes da empresa, não é raro encontrar casais, filhos, primos e até representantes de três gerações da mesma família na fábrica. O engenheiro Danilo Silva, de 26 anos, realizou o sonho de trabalhar na empresa, assim como o pai, Sandro, analista de RH, e o avô materno Nilton, hoje aposentado, que contam sua experiência no vídeo.

A unidade também foi o ponto de encontro do casal Clara e Leonardo Fujioka. O engenheiro de Processos saiu de Ribeirão Preto para trabalhar em Taubaté e conheceu a analista de Logística na Ford. Começaram a namorar e, menos de um ano depois, quando ele foi transferido para a Inglaterra, ela o acompanhou como esposa. Em 2014, nasceu o primeiro filho do casal – Luca.

A operadora de máquinas Carolina Couto também seguiu os passos do pai, o eletricista eletrônico Carlos Couto, mais conhecido pelo apelido “Lasanha”, e começou a trabalhar na Ford como aprendiz. Ela recorda com emoção do nascimento da filha, que teve de fazer uma cirurgia e ficou durante oito meses na UTI após o parto. “Eu precisei levá-la para São Paulo, pois ela não estava melhorando aqui, e a Ford me ajudou muito nesse momento difícil.”

“Eu não vejo a minha rotina sem ir para a Ford. Eu digo que, quando me aposentar, vou arrumar um banquinho, ir todo o dia para a Ford e ficar na porta sentado batendo papo com o pessoal lá de dentro”, brinca Couto.

O engenheiro sênior José Sebastião Oliveira entrou na Ford há 42 anos e fala com orgulho dos ensinamentos que adquiriu na empresa. “Além do que recebi na escola e na família, na Ford eu aprendi como ser ético, a me relacionar com as pessoas, cuidar da minha própria segurança e dos outros. Hoje, continuo com saúde, com vontade de trabalhar, levantar de manhã e vir para a Ford, que é a minha segunda casa”, diz.

Foto: Divulgação/Ford

Por Imprensa Ford

Comentar

Seu endereço de email não será publicado.Campos marcados são obrigatórios *

*